sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Verdadeiro Amor



Um homem bastante idoso procurou uma Clínica para um curativo em sua mão ferida, dizendo-se muito apressado porque estava atrasado para um compromisso.

Enquanto o tratava, o jovem médico quis saber o motivo da sua pressa e ele disse que precisava ir a um Asilo de Velhos tomar café da manhã com sua mulher que estava internada lá a bastante tempo........

Sua mulher sofria de Mal de "Alzheimer" em estágio bastante avançado.....

Enquanto terminava o curativo, o médico perguntou-lhe se ela não ficaria assustada pelo fato de ele estar atrasado.

_" Não, disse ele. Ela já não sabe quem sou. Há quase cinco anos ela nem me reconhece..."

Intrigado o médico lhe pergunta:

_"Mas se ela já nem sabe quem é o senhor, porque essa necessidade de estar com ela todas as manhãs?"

O velho sorriu, deu uma palmadinha na mão do médico e disse:

_"É verdade......Ela não sabe quem eu sou, mas eu sei muito QUEM ELA É"

Enquanto o velhinho saia apressado, o jovem médico sorria emocionado e pensava:

_"Esta é a qualidade de amor que eu gostaria para minha vida"


O Amor não se reduz ao físico, ao romântico......
O Amor verdadeiro é a aceitação
DE TUDO O QUE O OUTRO É....
DE TUDO QUE O OUTRO FOI....
DO QUE SERÁ....
DO QUE JÁ NÃO É......

Reflita e veja que qualidade de amor existe em sua vida.



Autor desconhecido ou ignorado

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Pepito e Willy



Um menino espanhol, chamado Pepito, quando estava com dois anos e meio, costumava ouvir com atenção sua mãe tocar uma música no piano, o que ela fazia com certa frequência.

Certo dia, sua mãe ouviu que alguém tocava muito bem aquela música. Entrando na sala, viu o filho tocando piano. Sorrindo, ele lhe perguntou:

– Que me diz, mamãe?

A partir daquele dia, Pepito passou a tocar as músicas que ouvia, sem que a mãe precisasse ensiná-las. Bastava ouvir e ele conseguia tocá-las. Com três anos Pepito tocou seis músicas, criadas por ele, diante do rei e da rainha da Espanha, no palácio real.

Sua mão era pequena e ele criou uma forma especial de tocar. Como os grandes pianistas, às vezes levantava a mão para deixá-la cair na nota que queria, o que não era o modo de tocar da sua mãe. O que mais causava admiração era a riqueza de expressão, conforme fosse triste, alegre ou enérgico o trecho musical. Pepito tornou-se, quando jovem, um grande músico e exímio violonista.

Um outro menino – Willy Ferreros- com a idade de quatro anos e meio dirigiu uma famosa orquestra. Parecia um homenzinho vestindo,elegantemente, sua roupa preta, as calças de cetim, o colete branco e as botinas de verniz . Tendo na mão a batuta, dirigia com desembaraço e segurança incomparáveis uma orquestra de 80 músicos, observando com rigor o ritmo e todos os menores detalhes.


(Fonte: DENIS, L. “O Problema Do Ser, do Destino e da Dor" - FEB)

Reflexão

– De onde vem o conhecimento de música que esses dois meninos, verdadeiros prodígios, revelaram?

Eles não tiveram tempo de aprender e desenvolver suas habilidades naquela vida. Devem tê-las desenvolvido durante vidas anteriores, sempre dedicando-se ao mesmo estudo.

Todas as nossas tendências revelam o que o espírito realizou e acumulou através das vidas sucessivas.



Blog de Evangelização Espírita de Lu Beherabord

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Aprendendo a Canção: Cativar




Acompanhe a letra:

Cativar


Uma palavra tão linda já
Quase esquecida me faz recordar
Contendo sete letrinhas e
Todas juntinhas se ler cativar

Cativar é amar
É também carregar
Um pouquinho da dor
Que alguém tem que levar

Cativou disse alguém
Laços fortes criou
Responsável tu és
Pelo que cativou

Num deserto tão só
Entre homens de bem
Vou tentar cativar
Viver perto de alguém

quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Anália Franco



Nascida na cidade de Resende, Estado do Rio de Janeiro, no dia 1o. de fevereiro de 1856, e desencarnada em S. Paulo, no dia 13 de janeiro de 1919.

Seu nome de solteira era Anália Emília Franco. Após consorciar-se em matrimônio com Francisco Antônio Bastos, seu nome passou a ser Anália Franco Bastos, entretanto, é mais conhecida por Anália Franco.

Com 16 anos de idade entrou num Concurso de Câmara dessa cidade e logrou aprovação para exercer o cargo de professora primária. Trabalhou como assistente de sua própria mãe durante algum tempo. Anteriormente a 1875 diplomou- se Normalista, em S. Paulo.

Foi após a Lei do Ventre Livre que sua verdadeira vocação se exteriorizou: a vocação literária.

Com o decorrer do tempo, deixando algumas escolas maternais no Interior, veio para S. Paulo. Aqui entrou brilhantemente para o grupo abolicionista e republicano. Sua missão, porém, não era política. Sua preocupação maior era com as crianças desamparadas, o que a levou a fundar uma revista própria, intitulada "Álbum das Meninas", cujo primeiro número veio a lume a 30 de abril de 1898. O artigo de fundo tinha o título "Às mães e educadoras". Seu prestígio no seio do professorado já era grande quando surgiram a abolição da escravatura e a República. O advento dessa nova era encontrou Anália com dois grandes colégios gratuitos para meninas e meninos. E logo que as leis o permitiram, ela, secundada por vinte senhoras amigas, fundou o instituto educacional que se denominou "Associação Feminina Beneficente e Instrutiva", no dia 17 de novembro de 1901, com sede no Largo do Arouche, em S. Paulo.

A Associação Feminina mantinha um Bazar na rua do Rosário n.o. 18, em S. Paulo, para a venda dos artefatos das suas oficinas, e uma sucursal desse estabelecimento na Ladeira do Piques n.o. 23.

Anália Franco mantinha Escolas Reunidas na Capital e Escolas Isoladas no Interior, Escolas Maternais, Creches na Capital e no Interior do Estado, Bibliotecas anexas às escolas, Escolas Profissionais, Arte Tipográfica, Curso de Escrituração Mercantil, Prática de Enfermagem e Arte Dentária, Línguas (francês, italiano, inglês e alemão); Música, Desenho, Pintura, Pedagogia, Costura, Bordados, Flores artificiais e Chapéus, num total de 37 instituições.

Era romancista, escritora, teatróloga e poetisa. Escreveu uma infinidade de livretos para a educação das crianças e para as Escolas, os quais são dignos de serem adotados nas Escolas públicas.

terça-feira, 19 de agosto de 2014

Abecedário Espírita



O abecedário espírita é um dicionário para evangelização espírita infantil com palavras e expressões comumente usadas na doutrina, que é publicado mensalmente em nosso blog.

Lar: É a nossa primeira escola, é a casa que nos abriga do mundo.
Livro: É um grande amigo quando ele nos melhora, nos ensina a pensar.
Livro dos Espíritos: Foi o primeiro livro de Allan Kardec. Livro que tem a Doutrina Espírita, onde os espíritos responderam as perguntas sobre a vida, sobre Deus, sobre o mundo espiritual, sobre a vida na Terra, sobre nossas ações com o próximo,…


Fonte: FEB (Federação Espírita Brasileira)

domingo, 17 de agosto de 2014

Jogo da Memória da Paz



Exercite a sua memória clicando nas cartas e encontre os pares iguais dos personagens que foram importantes para a paz mundial e os dos elementos sociais que são essenciais a esse mesmo processo.

Clique aqui para jogar

sexta-feira, 15 de agosto de 2014

O que é a Prece?



Prece é um ato de adoração.

Orar a Deus é pensar Nele é aproximar-se Dele. É estar em comunicação com Ele.

Pela prece o homem atrai ajuda dos bons espíritos, que vem sustentá-los nas boas resoluções e inspirar-lhe bons pensamentos.

O essencial não é orar muito, mas orar bem.

Coversando com Deus, pedindo com o coração, com verdade !

As boas ações são as melhores preces, pois os atos valem mais que as palavras.


Prece de Louvor a Deus

Oh Papai do Céu! Como És bom! Como é maravilhoso o mundo que nos deste para viver.

Como o Senhor é sábio, tudo aqui está no lugar certo. Te louvo, Papai do Céu, por seres tão maravilhoso.


TRECHOS EXTRAÍDO DO LIVRO 52 LIÇOES DE CATECISMO ESPÍRITA (Eliseu Rigonatti)
PRECE DO LIVRO ESCOLINHA ESPÍRITA

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Chiquito



Julieta Marques (autora)
Ano: 2009
Edição: 2ª - 2012
Número de Páginas: 56

Sinopse do livro

CHIQUITO, da autora portuguesa Julieta Marques, conta um pouco da vida de Chico Xavier em linguagem acessível e direta, num convite ao amor, à humildade e à disciplina exemplificados pelo médium do século. Totalmente ilustrado, CHIQUITO é o segundo título da Vinha de Luz Editora voltado à evangelização infantil, que atende, sem dúvida alguma, às crianças de todas as idades.

segunda-feira, 11 de agosto de 2014

O Dia do Estudante



O dia do estudante surgiu oficialmente no ano de 1927, cem anos após a criação dos primeiros cursos superiores no Brasil. A data escolhida para comemorá-lo foi o dia 11 de agosto. Os estudantes devem ser valorizados por seus familiares, pois estudar não é tarefa fácil. Requer muita dedicação, é cansativo e deve ser visto como uma atividade de grande responsabilidade e compromisso.

O estudo leva as crianças ao crescimento saudável, a aprender a conviver com outras pessoas, a aceitar regras de boa convivência, além de dar-lhes conhecimentos para a vida, como a leitura e a escrita.

Algumas crianças e jovens não tem condições de frequentar uma escola, o que é muito triste, pois perdem grande parte de suas vidas ociosos, nas ruas ou mesmo trabalhando para ajudar no sustento de suas casas. Isso é muito ruim, pois perdem a oportunidade de, no futuro, terem uma profissão que lhes proporcione uma vida digna.

Ficar longe da escola, nas ruas das cidades, pode levar as crianças a se envolverem com drogas, criminalidade, passando necessidades, fome, sede, frio, sem receber carinho e atenção.

O estudante deve dar valor na escola, na oportunidade que tem de estudar, pois a vida para quem não freqüenta uma escola é muito difícil e de sofrimento.


Por Jussara de Barros

Fonte: Ecola Kids