quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Jesus, a História do Nascimento



Vocês sabem que é Deus? Nosso Pai e Criador de todo o universo. Pois então quando Deus criou nosso Planeta, o Planeta Terra, lá no Universo muito tempo se passou, e o planeta continuava se transformando. Então, há mais de 2.000 anos havia muitas pessoas vivendo no Planeta e Deus enviou um Presente para o nosso planeta e para nós.

Toda a Terra estava muito bonita, com muita alegria e felicidade. Entre essas muitas pessoas que habitavam nosso planeta havia o carpinteiro José e sua esposa Maria, que era uma moça muito bondosa.

Um dia, ela foi informada por um anjo (Espírito Celeste - superior já bem evoluído) que Jesus ia nascer e que ele teria uma linda missão aqui na Terra. E Jesus foi crescendo na barriga de Maria. José também recebeu, em sonho, a informação de que o menino que Maria estava esperando em sua barriga deveria se chamar Jesus.

Quando estava perto dEle nascer, Maria e José tiveram que fazer uma viagem! Deveriam ir para Belém. E assim eles foram, Maria no Burrinho e José. Andaram muito até chegar a Belém. Quando chegaram lá, já estava quase na hora de Jesus nascer!

Foram procurar um lugar para se hospedar, mas todos os lugares estavam cheios! Muitas pessoas também tinham que ir a Belém! José e Maria estavam preocupados, já estava quase anoitecendo! Então eles se abrigaram em uma gruta, que era utilizada por pastores para passar a noite e agasalhar os animais, uma estrebaria.

Estava uma linda noite! Muitas estrelas brilhavam no céu! E sobre a gruta, havia um brilho muito forte! Muitos Espíritos celestes ali estavam auxiliando José, Maria e Jesus! E nessa noite tão linda e tão especial, nasceu Jesus! Maria o vestiu e arrumou a manjedoura (o lugar onde os animais se alimentam) para servir de bercinho para o bebê Jesus!

E então, Jesus nos ensina uma das suas maiores lições: a humildade! A humildade é a chave de todas as virtudes! Jesus recebeu visitas nessa noite! Os Magos foram visitá-lo e levaram presentes para Jesus. Um Espírito Celeste apareceu para os Pastores e convidou-os a visitar Jesus! E hoje, os Espíritos Celestes nos convida: Venham! Nasceu Jesus! O enviado de Deus para nos ensinar a amar! Que alegria! Venham!

Jesus cresceu em Nazaré e aprendeu a ser carpinteiro como o pai. Era um menino educado e ajudava a mãe nas tarefas domésticas. Jesus aprendeu a ler e a escrever e estudou as escrituras na Sinagoga de Nazaré.

Seara Espírita Infantil

sábado, 3 de dezembro de 2016

Eterno Natal!



Quão bom que à paz pairasse no ar,
Inspirando a vida de todo ser humano,
Em todo canto da terra, além-mar,
Semeando a ternura no quotidiano...

Plantando n'alma, um eterno natal!...
Semeando e colhendo, à paz de Jesus,
Criando um mundo sem conflitos: real,
Iluminado pelo resplendor da sua luz.

Assim; co' o eterno espírito natalino,
Cada um seria amável em seu interior:
Todo irmão doando um afeto cristalino...

Compartilhando às bençãos do Criador,
Que através do filho, Jesus menino,
Mostrou-nos o seu imensurável Amor.

Elias Akhenaton

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

As mais Belas Orações



Sinopse do Livro:


Aqui estão reunidas orações da tradição cristã para que possamos fazer delas nossas próprias orações.

Autor: Lois Rock, Editora: Paulinas

terça-feira, 29 de novembro de 2016

A Bíblia e os Livros Edificantes



A Bíblia é um conjunto de livros escritos em diferentes tempos, por diversos autores. A Bíblia católica é formada por 73 livros enquanto que a Bíblia dos evangélicos tem 66 livros. Ela é dividida em duas partes: antigo testamento (escrito antes de Jesus) e novo testamento (escrito após Jesus). Cada livro é dividido por capítulos e por versículos, de maneira que fica fácil a localização dos textos. Os Espíritas devem estudar e analisar as escrituras sagradas.

O Antigo Testamento apresenta a origem da criação do mundo, a história do povo hebreu, com seus costumes e suas leis civis. Relata também o recebimento dos dez mandamentos por Moisés (1º revelação da lei divina) e a vida dos antigos profetas. O Novo testamento é composto por quatro evangelhos (Mateus, Marcos, Lucas e João) que relatam os ensinos de Jesus (2º revelação da lei divina). Além disso, contém os atos dos apóstolos após a morte do Divino Mestre, as cartas do apóstolo Paulo de Tarso e de outros discípulos e o último livro da Bíblia, Apocalipse, escrito pelo apóstolo João.

O conhecimento do Antigo Testamento é de fundamental importância para se compreender o Novo Testamento. O antigo Testamento é a base da Revelação Divina. No entanto, devemos observar que tudo o que se contém na Bíblia, em contraposição ao Decálogo, não é e nem poderia ser de origem divina.

Moisés era médium, assim como os demais profetas que previram a vinda do Messias. Ele recebeu a primeira revelação das leis de Deus (O Decálogo) através dos mensageiros de Jesus, para mostrar aos homens quais são seus deveres para com os semelhantes e para com Deus. Jesus, sendo o Messias Divino, recebeu a palavra diretamente de Deus, com a missão de revelá-la aos homens.

A importância do Evangelho de Jesus, em nossa evolução espiritual, é semelhante à importância do Sol na sustentação de nossa vida física. No entanto, muitas passagens do Evangelho, da Bíblia, e dos autores sagrados em geral são de difícil compreensão, e muitas mesmo parecem absurda por falta de uma chave que nos dê o seu verdadeiro sentido. O Espiritismo (3º revelação da lei divina), pois, é a verdadeira chave para a compreensão do Antigo e do Novo Testamento. A doutrina Espírita desenvolve, completa e explica, em termos claros para todo mundo, o que havia sido dito de forma alegórica (simbólica) por Jesus.

A Bíblia e os livros edificantes da Doutrina Espírita nos auxiliam a viver e acertar em nossas escolhas. Revelam-nos o passado e preparam-nos para o futuro. O Evangelho de Amor é, sem dúvida, o Livro Divino em cujas lições podemos encontrar a libertação de todo o mal. O livro espírita é sempre um amigo disponível para dialogar conosco, ensinando-nos o melhor caminho para a aquisição da paz e da felicidade que desejamos encontrar. Ajuda-nos no entendimento de nós mesmos e na compreensão do próximo. Dá-nos coragem para o trabalho, e humildade no caminho da experiência.

O livro edificante vacina a nossa mente contra o mal. Todo livro digno de apreço é realmente um presente de Deus à Humanidade para que os grandes instrutores possam clarear o nosso caminho, conversando conosco, acima dos séculos e das civilizações. Que seria do mundo sem a bênção do livro? Se não fosse a cooperação do livro, que seria da religião, da ciência, da filosofia, da política, da técnica industrial, da arte e da socialização? Devemos cuidar bem do livro, assim como cuidamos de um bem precioso, pois ele é o nosso companheiro iluminado e instrumento de educação moral e intelectual.

O livro espírita é sempre o nosso melhor amigo nos caminhos da elevação. Adquiri-lo é importante. Lê-lo é imprescindível. Estudá-lo é sabedoria. Divulgá-lo é dever.

Agradeçamos a Deus pela bênção da Bíblia e dos livros edificantes, que nos esclarecem e instruem.

Fabiana F. Freitas (Aulas para Evangelização Infantil Espírita)

domingo, 27 de novembro de 2016

Um Mundinho para Todos

Vídeo do Varal de Histórias com a história “Um Mundinho para Todos”, de autoria de Ingrid Biesemeyer.

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Os Balões



Um grupo de 500 pessoas participavam de um seminário, quando de repente, o palestrante parou e decidiu fazer uma atividade em grupo. Foram então distribuídos um balão a cada pessoa.

Cada integrante foi convidado a escrever o seu nome no seu balão com uma caneta. Em seguida, todos os balões foram recolhidos e colocados em uma outra sala.

O palestrante instruiu as pessoas que entrassem na sala onde estavam os balões e que cada um achasse o balão com o seu respectivo nome. Esta tarefa deveria ser feita em 5 minutos.

Todos procuravam desesperadamente o balão com o seu nome, empurrando e batendo-se uns nos outros, um caos total, sem concluírem a tarefa.

O orador então pediu que cada pessoa pegasse um balão aleatoriamente e desse para a pessoa cujo nome estava escrito.

Em poucos minutos, todos estavam com o seu próprio balão.

Em seguida o orador falou: “Isso está acontecendo em suas vidas. Todos estão desesperadamente procurando a felicidade ao redor, sem saber onde ela está. Nossa felicidade está na felicidade das outras pessoas. Dê-lhes a sua felicidade e você vai ter a sua própria.”

E esse é o propósito da vida humana … a busca da felicidade!

Autor desconhecido

terça-feira, 15 de novembro de 2016

Religião e Religiosidade



Cada religião é uma doutrina filosófica específica, embora todas versem basicamente sobre a relação entre as criaturas humanas e o seu Criador. Cada uma tem seus próprios pontos de vista doutrinários. É revelada de fora para dentro. Tem estruturas definidas, preceitos, dogmas, determinações.

A Religiosidade: É uma só (embora possa se manifestar de maneiras diferentes) e consiste simplesmente na interação entre cada criatura humana e o seu Criador, sem a obrigatoriedade do concurso dessa ou daquela religião.

Em outras palavras, a Religiosidade pode ser a ligação do ser humano a Deus.

- A religião é um meio e não um fim. O fim/finalidade é a nossa conexão com a divindade, com o sagrado.

- Experimentamos a religiosidade, ou seja, nos sentimos religados ao Criador, em situações diversas, independente de estarmos num templo.

- É a busca de sentido em tudo que existe, em tudo que fazemos.

- Religiosidade: escolher o caminho do amor para nos ligarmos à presença divina que está em tudo. Estar ligado a Deus em nossa vivência cotidiana através da experiência de Deus que fazemos no íntimo de nosso coração.

- A prática religiosa pode facilitar esse processo de ligação: Fortalecimento espiritual e psicológico.

União com outras pessoas, formação de laços.

Vinculação a um ideal de amor, de bem, de religare.

Manter um padrão de equilíbrio.

Auxilia na formação de valores para a vida...

- Mas precisa ser um exercício de amor e de verdade.


Fonte: Trechos do livro “O Homem Integral”, de Joanna de Ângelis.