sexta-feira, 22 de maio de 2015

Abecedário Espírita



O abecedário espírita é um dicionário para evangelização espírita infantil com palavras e expressões comumente usadas na doutrina, que é publicado mensalmente em nosso blog.

Templo: é a casa onde se reúnem os que prestam homenagem à Deus. Não importa que se chame de igreja, mesquita ou centro. É sempre o local para onde vão aqueles que acreditam no Criador e que em seu nome se reúnem. Templo de fé é a escola do coração.
Trabalho: é toda a ocupação útil. É o meio em que o homem aperfeiçoa a inteligência, assegura o progresso, o seu bem estar e a sua felicidade.


Fonte: FEB (Federação Espírita Brasileira)

quarta-feira, 20 de maio de 2015

Cornélio Pires



Cornélio Pires nasceu na cidade de Tietê, Estado de São Paulo, no dia 13 de julho de 1884, e a sua desencarnação aconteceu na cidade de S. Paulo, no dia 17 de fevereiro de 1958.

Homem de personalidade inconfundível, tornou-se figura popular e de bastante destaque em todo o Brasil, graças ao trabalho, por ele encetado, de viajar pelas cidades do Interior do Estado de S. Paulo e outros Estados, estreando na condição de caipira humorista.

Em sua juventude aspirava participar de um concurso de admissão numa Faculdade de Farmácia. Animado desse propósito viajou de Tietê para S. Paulo, a fim de se inscrever como candidato a um desses concursos, porém, apesar do seu desempenho não logrou êxito nesse seu intento.

Tomou então a deliberação de dedicar-se ao jornalismo, passando a trabalhar na redação do jornal O Comércio de São Paulo, em cujo cargo desenvolveu um aprendizado bastante estafante. Posteriormente passou a exercer atividades nos jornais O São Paulo e O Estado de São Paulo, tradicional órgão da imprensa paulista, onde desempenhou a função de revisor e, finalmente, no ano de 1914, passou a dar a sua contribuição ao órgão O Pirralho.

Numerosos escritores teceram comentários sobre a personalidade de Cornélio Pires e, para ilustração, passemos a citar Joffre Martins Veiga, que em seu trabalho A Vida Pitoresca de Cornélio Pires, escreveu “Ninguém amou tanto a sua gente como Cornélio Pires; ninguém se preocupou tanto com seus semelhantes como esse homem, que foi, antes de tudo, um Bom”. O famoso poeta Martins Fontes, por sua vez, escrevendo sobre ele, afirmou: “é um bandeirante puro, um artista incansável, enobrecedor da Pátria e enriquecedor da língua”.

Admirado também pelo grande jornalista Amadeu Amaral, este deu-lhe a sugestão de tornasse um dos maiores divulgadores do folclore brasileiro.

Pelos idos de 1910, Cornélio Pires lançou o livro Musa Caipira, obra que foi largamente saudada pela crítica, graças ao seu conteúdo tipicamente brasileiro. Sílvio Romero tornou-se um dos seus mais salientes críticos, comentando da seguinte forma o lançamento dessa obra: “Apreciei imensamente o chiste, a cor local, a graça, a espontaneidade de suas produções que, além do seu valor intrínseco, são um ótimo documento para o estudo dos brasileirismos da nossa linguagem”.

No início do presente século, Cornélio Pires começou a frequentar a Igreja Presbiteriana, entretanto não conseguiu conciliar os ensinamentos dessa religião com o seu modo de pensar. Ele não admitia a existência das penas eternas e de um Deus que desse preferência aos seguidores de determinadas religiões. O demasiado apego aos formalismos da letra, na interpretação dos textos evangélicos fez com que ele quase descambasse para o materialismo.

Nessa época ele desconhecia o que era Espiritismo, entretanto, durante as suas viagens ao Interior, aconteceram com ele vários fenômenos mediúnicos, inclusive algumas comunicações do Espírito Emilio de Menezes, as quais muito o impressionaram. Como consequência ele passou a estudar obras espíritas principalmente as de Allan Kardec, Leon Denis, Albert de Rochas e alguns livros psicografados pelo médium Francisco Cândido Xavier.

Dali por diante integrou-se decididamente no Espiritismo, interessando-se muito pelos fenômenos de efeitos físicos, tendo desencarnado quando escrevia Coletânea Espírita.

Num de dos seus escritos sobre o Espiritismo, dizia ele: “O Espiritismo, mais cedo ou mais tarde, fará aos católicos romanos, aos protestantes e aos adeptos de outros credos, a caridade de robustecer-lhes a Fé, com os fatos que provam a imortalidade da Alma, que se transforma em Espírito ao deixar o invólucro material” e mais adiante” O Espiritismo nos proporciona a FÉ RACIOCINADA, nos arrebata ao jugo do dogma e nos ensina a compreender DEUS como Ele é”.

Pouco antes da sua desencarnação, Cornélio Pires, demonstrando que havia assimilado o preceito de Jesus Cristo: “Amai ao próximo como a ti mesmo”, voltou para a cidade do Tietê e ali comprou uma chácara, onde fundou a” Granja de Jesus”, lar destinado a crianças desamparadas. Infelizmente ele não chegou a ver a conclusão da obra.

Cornélio Pires chegou a organizar o “Teatro Ambulante Cornélio Pires” perambulando de cidade em cidade, sendo aplaudido por toda a população brasileira por onde passava. Esse intento foi concretizado após ter abandonado a carreira jornalística.

O presente trabalho representa uma apagada biografia desse batalhador infatigável, que desenvolveu na Terra uma tarefa altamente meritória.


Fonte: Personagens do Espiritismo (do Brasil e de outras Terras) de Antônio de Souza Lucena e Paulo Alves Godov. Edições FEESP, S.Paulo, SP

sábado, 16 de maio de 2015

quinta-feira, 14 de maio de 2015

Deus te Conceda a Paz



Se a provação te aflige,
Deus te conceda paz.

Se o cansaço te pesa,
Deus te sustente em paz.

Se te falta a esperança,
Deus te acrescente a paz.

Se alguém te ofende ou fere,
Deus te renove em paz.

Sobre as trevas da noite,
O Céu fulgura em paz.

Ama, serve e confia.
Deus te mantém a paz.

Que assim seja.


Autor: Emmanuel, por Francisco Cândido Xavier

domingo, 10 de maio de 2015

Dia das Mães



Todo dia é dia de dar graças ao Senhor pelo anjo de amor que nos colocou em nossa vida.

Felicidades e Paz para todas as mães nesse grande dia!

São os votos de,
Carlos Pereira - O Manancialzinho

sábado, 9 de maio de 2015

quinta-feira, 7 de maio de 2015

A Reencarnação



A reencarnação, que a gente pode chamar também de vidas sucessivas, é um dos pontos fundamentais da Doutrina Espírita;

Sem a reencarnação, fica muito difícil compreender, aceitar e modificar as diferenças sociais, artísticas, intelectuais, morais, físicas;

A reencarnação é prova do Deus Justo : porque diante do Amor que Ele tem por nós, impossível seria acreditar que ele teria seres diferentes uns dos outros: dando a uns mais e a outros menos;

Falamos e conversamos sobre Jesus, o Ser mais perfeito que conhecemos; falamos e conversamos sobre seus ensinamentos e da importância e necessidade de seguirmos seus passos; daí quando vemos as pessoas mais desenvolvidas seja intelectual seja moralmente, a gente percebe que elas estão muito longe do modelo de perfeição que Jesus nos ofereceu; assim somente com o princípio da reencarnação a gente pode, racionalmente, entender melhor e nos servir dos Seus ensinamentos;

O progresso espiritual se dá em conjunto, ou seja, mediante o contato com outros Espíritos de diversas fases de desenvolvimento, ou seja, só se dá mediante a vida em sociedade: na convivência entre as pessoas, na vida em família – uns caminham mais rápido, outros mais devagar, mas todos caminham; e para esse caminhar se faz necessário a reencarnação, porque não temos como aprender tudo em um período curto de vida aqui na Terra;


- A reencarnação foi descoberta por Allan Kardec ou revelada por Jesus?

Realmente, a reencarnação não foi descoberta por Allan Kardec , nem revelada por Jesus. O Espiritismo nos ensina que Allan Kardec estudou a reencarnação, dialogou com os Espíritos sobre ela, mas não a descobriu. Jesus, a seu tempo, falou da reencarnação, a ela se referindo em seus ensinamentos como verdade já conhecida pelos Judeus. Entretanto, a reencarnação era conhecida não apenas pelos Judeus, mas por muitos outros povos, como os Egípcios, os Hindus e os Gregos.

Mesmo no Velho Testamento há referências à reencarnação, como, por exemplo, a que se lê no Livro de Jeremias, cap. 1, versículo 5: “Antes que te formasse no ventre eu te conheci (...).” Nessa frase, vê- se a clara referência à existência anterior do Espírito em relação ao corpo, pois a afirmação “eu te conheci” não poderia referir- se ao corpo, de vez que ele ainda não existia.

Embora os Judeus não conhecessem a lei de evolução, nem a lei de causa-e-efeito, com a clareza como o Espiritismo explica, eles sabiam que o Espírito pode voltar à T erra num novo corpo. As provas de que, ao tempo de Jesus, a reencarnação era conhecida, é verificável nos textos do Novo Testamento, como se vê nas leituras abaixo:

Em João, c ap. 3, versículos de 1 a 10, vemos que, na conversa com Nicodemos, Jesus, ele próprio, fala da necessidade de “nascer de novo”, e não é de pronto entendido pelo fariseu, que lhe diz: “Como pode um homem nascer, sendo já velho? porventura pode tornar a entrar no ventre de sua mãe, e nascer?” Ao que Jesus responde:

“O que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito é espírito.” Nicodemos ainda não compreende e torna a perguntar: “Como pode ser isso?” Jesus, estranhando o fato de ele, um homem culto desconhecera reencarnação, disse-lhe: “Tu és mestre em Israel e não sabes isto?”

Em Mateus, cap. 16, versículos 13 e 14, encontramos o seguinte: “E, chegando Jesus das partes de Cesaréia de Filipe, interrogou os seus discípulos, dizendo: Quem, dizem os homens ser o filho do homem? E eles disseram: Uns João Batista, outros Elias, e outros Jeremias ou um dos profetas.” Ora, se as pessoas pensavam que Jesus poderia ser a volta de Elias, de Jeremias ou de um outro profeta é porque eles sabiam que um Espírito pode voltar à Terra habitando um novo corpo carnal, logo acreditavam na reencarnação.


Fontes: CVDEE e José Passin.

terça-feira, 5 de maio de 2015

Conhecendo O Livro dos Espíritos




Esse resumo explica como é composta a primeira obra da codificação espírita, O Livro dos Espíritos, de Allan Kardec.

Resumo sobre a estrutura didática de “O Livro dos Espíritos”.




Meio didático de apresentação (forma utilizada para a apresentação de uma Ciência):

1- Escolha do Objeto de Estudo - Parte 1ª: Das Causas Primárias – A Gênese (1868)

2- Análise do Objeto de Estudo - Parte 2ª: Do Mundo Espírita ou Mundo dos Espíritos - O Livro dos Médiuns (1861)

3- Formulação das Leis -Parte 3ª : Das Leis Morais - O Evangelho Segundo o Espiritismo (1864)

4- Dedução das Conseqüências (Parte 4ª: Das Esperanças e Consolações) - O Céu e o Inferno (1865)


Parte Primeira: Das Causas Primárias Questões 01 à 75 (A Gênese - 1868)

Cap. I - De Deus Questões 01 à 16

Cap. II - Dos Elementos Gerais do Universo (espírito e matéria) Questões 17 à 36

Cap. III - Da Criação Questões 37 à 59

Cap. IV - Do Princípio Vital Questões 60 à 75


Parte Segunda: Do Mundo Espírita ou Mundo dos Espíritos Questões 76 à 613 (O Livro dos Médiuns -1861)

Cap. I- Dos Espíritos Questões 76 à 131

Cap. II- Da encarnação dos Espíritos Questões 132 à 148 (1º - passagem do mundo espiritual para o mundo corporal)

Cap.III- Da volta do Espírito, extinta a vida corpórea, à vida espiritual Questões 149 à 165 (2º - passagem do mundo corporal para o espiritual)

Cap. IV- Da pluralidade das existências Questões 166 à 221

Cap.V- Considerações sobre a pluralidade das existências Questão 222

Cap. VI- Da vida espírita (3º- vivendo no mundo espiritual) Questões 223 à 329

Cap. VII- Da volta do Espírito à vida corporal (4º - Vivendo no mundo corporal) Questões 330 à 399

Cap.VIII- Da emancipação da alma Questões 400 à 455 (5º- estando no mundo corporal e interagindo no mundo espiritual)

Cap. IX- Da intervenção dos Espíritos no mundo corporal Questões 456 à 557 (6º - estando no mundo espiritual e interagindo no mundo corporal)

Cap. X- Das ocupações e missões dos Espíritos Questões 558 à 584

Cap. XI- Dos três reinos Questões 585 à 613 (espírito com “e” minúsculo)


Parte Terceira: Das Leis Morais Questões 614 à 919 (O Evangelho Segundo o Espiritismo - 1864)

1 - O que é Lei? Cap. I - Da Lei Divina ou Natural Questões 614 à 648

2 - Quais são as Leis? Estabelecem todos os deveres do homem (Cap. II ao XI):

- Para com Deus Questões 649 à 685 (Leis de Adoração e do Trabalho);

- Para consigo mesmo Questões 686 à 765 (Leis Reprodução, Conservação e Destruição );

- Para com o próximo Questões 766 à 872 (Leis de Sociedade, Progresso, Igualdade e Liberdade);

- Resumo de todas as Leis: Lei de Justiça, Amor e Caridade Questões 873 a 892.

3- Como praticar as Leis? Cap. XII- Da perfeição moral Questões 893 a 919.


Parte Quarta: Das Esperanças e Consolações Questões 920 à 1019 (O Céu e o Inferno - 1865)

Vamos encontrar o Espírito vivendo em dois mundos:

Corporal: 1º - Cap. I - Das Penas e Gozos Terrenos Questões 920 à 957.

Espiritual: 2º- Cap. II- Das Penas e Gozos Futuros Questões 958 à 1019.



Fonte: Evangelização Seara do Mestre (searadomestre.com.br)

sexta-feira, 1 de maio de 2015

Dia do Trabalhador



O trabalho é muito importante em nossa vida. É através do trabalho que as pessoas progridem e em consequência o mundo também progride.

Observem por exemplo no campo da ciência, se não fosse o trabalho dedicado dos pesquisadores não teríamos descoberto a cura e tratamento de muitas doenças. O trabalho torna a vida muito mais fácil e boa de ser vivida.

O trabalho também possibilita o nosso crescimento espiritual.

Por tudo isso o trabalho é um dos principais componentes da lei de progresso.

O dia 1º de maio é o dia dedicado ao trabalhador.

Vamos saudar e parabenizar a todos os trabalhadores nessa data!